• Research Center in Biodiversity and Genetic Resources

    InBIO Associate Laboratory

    Research Center in  Biodiversity and Genetic Resources
  • Research Center in Biodiversity and Genetic Resources

    InBIO Associate Laboratory

    Research Center in  Biodiversity and Genetic Resources
  • Research Center in Biodiversity and Genetic Resources

    InBIO Associate Laboratory

    Research Center in  Biodiversity and Genetic Resources
  • Research Center in Biodiversity and Genetic Resources

    InBIO Associate Laboratory

    Research Center in  Biodiversity and Genetic Resources
 

 

 

 
 
Vem a Portugal o homem que descobriu e contou ao mundo porque se extinguiram os dinossauros
Walter Alvarez vem falar de Big Science e apresentar o seu novo livro
 

Walter Alvarez mudou a História da Humanidade quando descobriu que o desaparecimento dos dinossauros, há 65 milhões de anos, foi consequência do choque entre a Terra e um meteorito. Com os dinossauros, desapareceram para sempre cerca de dois terços das espécies que habitavam o planeta.


O artigo de Alvarez sobre a última extinção em massa na Terra foi publicado em 1980 perante a resistência da comunidade científica que exigia provas. O embate de um meteorito - diziam - teria de ter deixado marcas visíveis na crosta terrestre, e em nenhum lugar existia essa cratera. Passados 11 anos, durante explorações submarinas para a pesquisa de jazidas de petróleo, a prova apareceu. Debaixo de água, na península de Yucatán, no Golfo do México, existia uma cavidade profunda no solo com dezenas de quilómetros de diâmetro. Era a dimensão que Alvarez tinha estimado. Feitas todas as análises necessárias, as datas coincidiam; a cratera tinha 65 milhões de anos.


Como chegou Alvarez a esta conclusão? Geólogo por formação, estudava os solos italianos quando descobriu, num estrato das formações rochosas que analisava, níveis exagerados de uma
substância pouco abundante na Terra - o irídio.

 

A ajuda do pai de Alvarez foi fundamental para a descoberta que fariam a seguir. Prémio Nobel da física, Luis Alvarez sabia que o irídio apenas existe em grandes quantidades no espaço. Por isso, só matéria vinda de fora da Terra num determinado momento poderia explicar os elevadíssimos níveis de irídio numa camada específica do solo terrestre. O momento em que isso aconteceu - perceberiam depois - foi há 65 milhões de anos, a altura da última extinção em massa do planeta. Estava aberto o caminho até ao embate do meteorito com a Terra. A correcção da História da Evolução veio a seguir.

 

Walter Alvarez vai estar na Fundação de Serralves, no dia 22 de maio, às 17.30h, para a conferência O Estudo da Grande História - Supercontinentes, e como Portugal inventou a Ciência.


Na mesma ocasião, Walter Alvarez apresenta a Portugal o seu livro As Montanhas de São Francisco - à descoberta dos eventos geológicos que moldaram a Terra.

Posted in 2014-05-01