• Research Center in Biodiversity and Genetic Resources

    InBIO Associate Laboratory

    Research Center in  Biodiversity and Genetic Resources
  • Research Center in Biodiversity and Genetic Resources

    InBIO Associate Laboratory

    Research Center in  Biodiversity and Genetic Resources
  • Research Center in Biodiversity and Genetic Resources

    InBIO Associate Laboratory

    Research Center in  Biodiversity and Genetic Resources
  • Research Center in Biodiversity and Genetic Resources

    InBIO Associate Laboratory

    Research Center in  Biodiversity and Genetic Resources
 

 

 

 

 

 
 
Quanto vale uma mancha amarela? Desvendar a importância da coloração amarela na milheirinha
Sandra Trigo e Paulo Gama Mota mostram que a coloração amarela da milheirinha (Serinus serinus) é mais do que um aspecto estético, ao desvendar o papel indirecto que a coloração do carotenóide amarelo desempenha na condição física, saúde e sucesso reprodutivo desta espécie de ave.
 

Num estudo inovador recentemente publicado pela revista internacional Behavioural Ecology and Sociobiology, Sandra Trigo e Paulo Gama Mota, investigadores do CIBIO-Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos/InBIO Laboratório Associado, mostram que a coloração amarela da milheirinha (Serinus serinus) é mais do que um aspecto estético, ao desvendar o papel indirecto que a coloração do carotenóide amarelo desempenha na condição física, saúde e sucesso reprodutivo desta espécie de ave.

 

Ao condicionar a disponibilidade de carotenóides (β-caroteno) na dieta de um conjunto de machos de milheirinha com plumagem amarela, durante a fase de muda, os investigadores do CIBIO-InBIO e da Universidade de Coimbra conseguiram observar que uma dieta mais rica neste pigmento dá origem a um aumento na concentração do carotenóide no plasma, assim como a um aumento da resposta imunitária. Para além disso, repararam que os machos que recebem os suplementos dietários exibem uma plumagem de coloração mais saturada do que os que são expostos a uma dieta convencional. Esta coloração mais intensa, leva a que estes machos sejam preferencialmente escolhidos pelas fêmeas quando estas são submetidas a um teste de escolha de parceiro.

 

Este estudo, recentemente publicado pela revista Behavioural Ecology and Sociobiology é muito interessante uma vez que reúne elementos-chave associados à evolução de sinais através de um fenómeno de selecção sexual. Com efeito, enquanto vários estudos têm estabelecido a associação entre sinais e i) condição física e estado de saúde; ii) resposta imunitária; e iii) escolha de parceiro, este é o primeiro em que todas estas associações são estabelecidas para os mesmos indivíduos de uma dada espécie.

 

Os resultados obtidos mostram que as variações na dieta da milheirinha determinam a expressão de uma característica baseada na concentração de carotenóides, que é sujeita a selecção sexual. As diferenças detectadas servem como indicador de saúde, por terem impacto na condição imunitária dos animais. Para além do aumento da concentração de carotenóides na corrente sanguínea, dietas ricas nestes pigmentos originam um melhoramento na expressão ornamental da plumagem, tornando os machos mais atraentes para as fêmeas. Assim, em última análise, os mecanismos identificados afectam o sucesso reprodutivo dos machos, ao condicionar o seu acesso à reprodução.

 

Artigo original:
Trigo S, Mota PG (2015) What is the value of a yellow patch? Assessing the signalling role of yellow colouration in the European serin. Behavioral Ecology and Sociobiology. DOI: 10.1007/s00265-014-1860-2.

 

Sobre os Autores:
Sandra Trigo e Paulo Gama Mota
Departamento de Ciências da Vida, Universidade de Coimbra, Coimbra, Portugal
CIBIO – Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos, InBIO Laboratório Associado, Vairão, Portugal

Posted in 2015-01-29