• Research Center in Biodiversity and Genetic Resources

    InBIO Associate Laboratory

    Research Center in  Biodiversity and Genetic Resources
  • Research Center in Biodiversity and Genetic Resources

    InBIO Associate Laboratory

    Research Center in  Biodiversity and Genetic Resources
  • Research Center in Biodiversity and Genetic Resources

    InBIO Associate Laboratory

    Research Center in  Biodiversity and Genetic Resources
  • Research Center in Biodiversity and Genetic Resources

    InBIO Associate Laboratory

    Research Center in  Biodiversity and Genetic Resources
 

 

 

 
 
Café com Ciência com Teresa Silva
20 de Março 2016 | Fundação de Serralves
2016-03-07
 

Domingo, dia 20 de Março, é dia de Café com Ciência em Serralves.


Teresa Silva
Biodiversidade e genética: o caso das gazelas Norte-africanas


Teresa Silva é a convidada de mais um Café com Ciência
Licenciada em Biologia Aplicada pela Universidade do Minho e com mais de 10 anos de experiência prática em biologia molecular. Atualmente é aluna programa doutoral BIODIV, (Biodiversidade, Genética e Evolução, CIBIO / UP), supervisionada por José Carlos Brito e Paulo Célio Alves (CIBIO / UP) e Teresa Abáigar da Estación Experimental de Zonas Áridas (EEZA-CSIC) em Almeria, Espanha.
A sua principal área de interesse é a Genética de Conservação, particularmente a perceção das dinâmicas populacionais em ambientes áridos.

A sua tese foca-se no estudo das populações ameaçadas de duas espécies de gazela do Norte de África: Gazella dorcas e G. cuvieri. Estas espécies, embora com utilização de habitat distintas, são ambas ameaçadas pela caça ilegal e pela perda de habitat devido ao sobre pastoreio. Tornam-se assim, modelos extremamente interessantes para estudar o impacto humano na sobrevivência das populações selvagens. A principal fonte de dados do trabalho são as amostras não invasivas, recolhidas em diversas missões de campo à Mauritânia, Marrocos, Niger e Tunísia, levadas a cabo por vários colegas do grupo BIODESERTS. Para além de permitirem perceber a diversidade genética na área de estudo, os pequenos fragmentos de DNA que se conseguem amplificar a partir destes excrementos, permitiram já, o desenvolvimento de uma ferramenta molecular para identificação rápida de vários ungulados que ocorrem na mesma área de estudo. Um dos objetivos desta tese é também conseguir sugerir aos países do Norte de África, a implementação de um plano de ação para a conservação destas espécies.

 

O evento decorre às 11h00 na Biblioteca da Fundação de Serralves. Acesso: 1€.

 

Mais informações no website da Fundação de Serralves.