• Research Center in Biodiversity and Genetic Resources

    InBIO Associate Laboratory

    Research Center in  Biodiversity and Genetic Resources
  • Research Center in Biodiversity and Genetic Resources

    InBIO Associate Laboratory

    Research Center in  Biodiversity and Genetic Resources
  • Research Center in Biodiversity and Genetic Resources

    InBIO Associate Laboratory

    Research Center in  Biodiversity and Genetic Resources
  • Research Center in Biodiversity and Genetic Resources

    InBIO Associate Laboratory

    Research Center in  Biodiversity and Genetic Resources
 

 

 

 
 
Café com Ciência com Angelica Crottini
29 de Maio de 2016 | Fundação de Serralves
2016-05-24
 

Domingo, dia 29 de Maio, é dia de Café com Ciência em Serralves.


Angelica Crottini
Madagáscar: um laboratório vivo de evolução em perigo!

 

Angelica Crottini é a convidada de mais um Café com Ciência.
Licenciada e com mestrado em Biologia pela Universidade de Milão (Itália), completou o doutoramento em Biologia Animal em 2008, pela mesma instituição. Angelica Crottini trabalhou como post-Doc na Universidade de Braunschweig (Alemanha), trabalhando com um dos maiores especialistas da fauna de Madagáscar. Em 2011 incorporou-se no CIBIO-InBIO (Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos, Universidade do Porto), onde atualmente é investigadora auxiliar e desenvolve a sua investigação em sistemática molecular e no estudo da evolução dos anfíbios e répteis de Madagáscar.
Encontra-se envolvida em diversas atividades de conservação e é a investigadora responsável pelo plano nacional de monitorização para a deteção precoce da quitridiomicose em Madagáscar.
Desde 2013 é membro do Grupo de Especialistas de Anfíbios de Madagáscar, da União Internacional para a Conservação da Natureza. Entre os seus atuais interesses de investigação inclui-se o estudo da evolução da biodiversidade e da riqueza animal única desta ilha do Oceano Índico. Madagáscar alberga uma diversidade quase sem paralelo de flora e de fauna endémicas. Com mais de 300 espécies descritas e 200 por descrever, as rãs da família Mantellidae resultam de uma radiação que originou uma infinidade de características morfológicas, ecológicas e reprodutivas. Angelica Crottini aplica novas metodologias genéticas ao estudo desta radiação evolutiva de Madagáscar para investigar os padrões evolutivos que permitiram esta diferenciação.
É autora de várias publicações científicas em revistas internacionais e responsável por projetos de investigação e orientação de alunos pré- e pós-graduados.


O evento decorre às 11h00 na Biblioteca da Fundação de Serralves. Acesso: 1€.


Mais informações no website da Fundação de Serralves.